Trilogia A Seleção: A Seleção – Livro 1

A Seleção - Livro 1

Lembra-se quando éramos crianças e nós meninas queríamos nos tornar princesas? Morar em um palácio, ter suas próprias damas de companhia e um príncipe lindo a seu dispor?  Que sonho hein?

Acontece que para America Singer, nossa protagonista, isso é mais do que um pesadelo.

Bora explicar o por quê?

No livro A Seleção, da autora Kiera Cass, ela conta uma história de um futuro onde tudo que se conhece hoje não existe mais. Como assim?

Bem, nessa história nos vemos em um Estados Unidos colonizado por chineses após a Terceira Guerra Mundial, os Estados Americanos da China, mas recentemente alterado para Illéa.

Agora este novo país tem como forma de governo a monarquia e separado não mais em estados, mas em províncias, e o que mais muda é o novo sistema hierárquico, o sistema de castas. Ao todo são 8 castas:

Vamos caracterizá-las por ordem de importância.

1: Nobreza
2: Celebridades, modelos, atletas profissionais, políticos, atores e oficiais.
3: A elite, educadores, filósofos, inventores, escritores, cientistas, médicos, veterinários, dentistas, arquitetos, bibliotecários, engenheiros, psicólogos, cineastas, produtores musicais, advogados.
4: Fazendeiros, joalheiros, corretores de imóveis e de seguros, chefes de cozinha, mestres de obras, proprietários e donos de restaurantes, lojas e hotéis.
5: Artistas, músicos e dançarinos.
6: Secretários, serventes, governantas, costureiras, balconistas, cozinheiros, motoristas.
7: Jardineiros, pedreiros, lavradores, pessoas que limpam calhas e piscinas, e quase todos os trabalhadores braçais.
8: Pessoas com deficiência (especialmente quando desamparadas), viciados, fugitivos, sem-tetos.

(informações sobre castas retiradas do site Wikipedia).

America Singer pertence a casta 5 o que a faz uma excelente música,  sua família vive de uma maneira simplória, sem poder ter mais do que o necessário,  e além disso ela guarda um segredo: nutre um romance com o charmoso Aspen, o que é feito as escondidas já que ele é uma casta inferior a dela e não tem muito a oferecer caso um dia venham a se casar. Tudo muda quando é anunciado que será feita uma competição, onde 35 jovens moças de 16 à 20 anos serão selecionadas e direcionadas ao palácio, que abriga o nobre e lindo príncipe Maxon, que terá de escolher dentre essas garotas apenas uma, a qual se tornará sua esposa, futura Rainha de Illéa. Méri, depois de a mãe a chantagear e Aspen pedir para que fizesse ao menos a inscrição, é selecionada, mas ela não está disposta a ir, teria de abandonar tudo o que tem para ir ao palácio e ter de lidar com aqueles que ela mais menospreza: o rei e o príncipe, o primeiro porque ele aceita a injustiça que há entre o mundo das castas e o príncipe por querer selecionar uma esposa através de uma eleição,  como se tivesse escolhendo peixe na feira.

Contudo, ela vai, porque indo, ela receberá dinheiro o suficiente para garantir o sustento de sua família e quaisquer outras vaidades que seus pais e sua irmã mais nova poderiam ter. Chegando lá, percebe que seu preconceito para com o príncipe Maxon foi exagerado, pois com o tempo mostra a ela uma personalidade bem diferente do que tinha imaginado, e apesar das intrigas que existem por parte das outras garotas, ela percebe que a vida no palácio pode ser melhor do que imaginava.

Eu gostei do livro porque ele está fora dos padrões de leitura que eu costumo ler, e também pelo fato de ter pontos semelhantes com relação aos livros Jogos Vorazes (para conferir clique aqui) e Divergente (para conferir clique aqui). Tirando o fato de terem como gênero base a distopia, quando os autores retratam suas histórias com aspectos do futuro, tem também os aspectos semelhantes. Como acontece com Katniss em Jogos Vorazes, America também vaicontra suas vontades para ganhar algo que permitirá a sua família viver bem, a diferença é que enquanto a primeira vai à uma arena assustadoramente cheia de desafios que podem ser fatais, Meri vai ao palácio onde o seu maior desafio é de se equilibrar em saltos altos e de tomar cuidado para que nenhuma de suas rivais a arranhe com suas unhas cuidadosamente bem feitas. Quanto ao terceiro (Divergente), ele se assemelha com os outros dois, pois as três estão dispostas a deixarem a vida que viveram e partir para uma nova, no qual nada sobre o futuro é conhecido e também há a questão de elas irem contra a forma de atuação da sociedade por vontade do: rei, presidente, facção, capital, sendo assim arriscam tudo para conquistar mudanças que resultariam na alteração do padrões injustos da sociedade,  elas são como revolucionárias.

Bem, sem contar que a autora escreveu este livro de uma forma tão impactante que te deixa de cabelos em pé, cada detalhe minucioso te leva a pensar de uma maneira diferente e igual ao mesmo tempo sobre o desfecho da história. Os romances e aventuras são tão sólidos que você chega a acreditar que a história foi real, que ocorreu.

Então é isso, logo mais postaremos o segundo livro da Série, A Elite, e o último será lançado em maio, o bom é que a editora deste livro aqui no Brasil afirmou que o livro chegará aqui, EM PORTUGUÊS, em maio também, agora é só esperar para ver. Se você gostou, tem algum comentário ou pergunta, sinta-se à vontade para postar.

Obrigada mais uma vez,

Compare os preços deste livro clicando aqui
Ou veja o preço na loja de sua preferência:
Cultura Saraiva Submarino
Bruu
Bruu
Especificações Técnicas

Especificações técnicas:

ISBN: 8565765016

ISBN-13: 9788565765015

Idioma: português

Encadernação: Brochura

Edição:

Ano de Lançamento: 2012

Número de páginas: 368

Editora: Seguinte

Fonte: Livraria Cultura

Pesquisas recentes:

livro de colorir a selecao lojas americanas
Bruu

Bruu

Viciada em leitura, mas apaixonada por números, o ápice da contrariedade. Tem uma queda maior por romances e finais felizes, mas ama as lágrimas que os livros de drama causam. A meta do ano é publicar um livro próprio. A meta da vida é viver e ler, mesmo quando não puder mais.
Bruu

Bruu

Viciada em leitura, mas apaixonada por números, o ápice da contrariedade. Tem uma queda maior por romances e finais felizes, mas ama as lágrimas que os livros de drama causam. A meta do ano é publicar um livro próprio. A meta da vida é viver e ler, mesmo quando não puder mais.

4 comentários em “Trilogia A Seleção: A Seleção – Livro 1

E aí? Gostou? Comente aqui o que você achou!