A Menina que Não Sabia Ler – Livro 1

Oi pessoal! Tudo bem?

Hoje trago mais um livro da série “me interessei pela capa, nome bacana, vamos ler a sinopse” hahahaha. Estou falando do livro A Menina que Não Sabia Ler de John Harding.

A sinopse também me interessou e confesso que foi um estilo de história diferente das que estou acostumado a ler, mas foi muito interessante.

Vamos ao que interessa então.

A história se passa no final do século XIX e a personagem que narra os acontecimentos é Florence, uma menina curiosa e com uma imaginação muito fértil. A mãe de Florence faleceu ao dar a luz a ela. Tempos depois, o pai arranjou outra mulher e juntos eles tiveram Giles, mas faleceram em uma tragédia.

Florence e Giles ficaram sem pais (nem chegaram a conhecê-los) e agora moram numa mansão afastada da cidade. Na mansão havia um lugar que nunca era utilizado, nem mesmo os empregados iam limpar (afinal, pra que limpar um lugar que ninguém frequenta, não é mesmo?). Este lugar era a biblioteca. Uma imensa biblioteca com estantes lotadas de livros, infelizmente, abandonados. Mas nossa curiosa Florence um dia abriu a porta que ninguém tocava e descobriu um mundo do qual nem fazia ideia que existia.

O tutor deles é um tio mais ausente que oxigênio no espaço e como ele teve um problema com uma mulher letrada, decidiu que na sua família as mulheres não seriam alfabetizadas. O único autorizado a ser alfabetizado era Giles. Mas Florence sempre foi muito curiosa e tinha uma vontade muito grande de aprender a ler, inclusive pediu que a ensinassem, mas respeitando as ordens do tio de Florence, nunca a ensinaram. Mesmo assim ela não desistiu, ela perguntava ao irmão, como quem não quer nada, coisas do tipo ‘que som essa letra tem?’ e ia guardando essas informações.

Resumindo, Florence aprendeu sozinha a ler e a biblioteca tornou-se seu lugar preferido na casa. Mas havia um problema nisso tudo. Como ela não era autorizada a aprender a ler e escrever, ninguém poderia saber que ela ia à biblioteca, então ela teria que fazer isso escondido. O que veio a calhar é que Florence é sonâmbula. Todas as vezes que ela tinha um sonho (era sempre o mesmo) ela saia andando pela casa. O sonho era mais ou menos assim: Flo estava deitada (como realmente estava quando deitou) e ‘acorda’, então ela olha para a cama de Giles e vê uma forma inclinada sobre a cama dele. Depois fica claro que essa forma era a de uma pessoa, era uma mulher toda vestida de preto. Essa mulher colocava os braços em torno de Giles, olhava para o seu rosto e dizia sempre as mesmas palavras “Ah, meu querido, eu poderia comê-lo”. Quando a mulher via que Florence estava olhando, ela pegava Giles e fugia com ele, então Flo ia atrás sem saber o caminho que a mulher havia feito e, por fim, acordava (dessa vez de verdade) dizendo que precisava salvar seu irmão. Ela acordava em algum lugar da mansão, pois enquanto ela sonhava que ia atrás da mulher, ela realmente andava. Então ela usava isso (sonambulismo) para ir até a biblioteca às vezes (ou aprontar alguma coisa).

As coisas mudam um pouquinho quando um garoto, Theo, aparece um dia na mansão e Florence se vê obrigada a fazer companhia para ele ao invés de ficar lendo. Mas tudo muda mesmo, radicalmente, quando a Srta. Taylor aparece. Ela é a nova preceptora que veio no lugar da Srta. Whitaker (que cuidava antes dos irmãos, mas morreu no lago da mansão) e que é a responsável pela educação de Giles.

Então você me pergunta: João, o que fez as coisas mudarem radicalmente com a chegada dela? E eu te respondo: Lembra aquele sonho que a Flo tem, que uma mulher fica em cima do Giles e diz “Ah, meu querido, eu poderia comê-lo”? Então, por incrível que pareça, esse sonho agora acontece de verdade e a mulher que está em cima de Giles é ninguém menos que a nova preceptora, Srta. Taylor.

Flo suspeita que essa mulher que está mais para uma bruxa, um possível fantasma da Srta. Whitaker, veio para levar seu irmãozinho embora, sequestrá-lo, que nem acontece em seu sonho. Flo chega até a se aventurar invadindo o quarto da Srta. Taylor no meio da noite.

O que será que ela descobriu ao entrar lá? Será que suas suspeitas se confirmaram? A Srta. Taylor realmente quer sequestrar Giles?  Ou será que tudo não passa de uma mente muito criativa e que acaba inventando coisas pra poder se ocupar? As pessoas vão acreditar nela quando ela contar suas suspeitas ou vão achar que ela está maluca?

Em pouco tempo você se vê envolvido nas aventuras que vão surgindo, todos aos poucos vão fazendo parte desse mistério. Segredos serão revelados, brigas vão acontecer e chegaremos ao ponto em que pessoas vão até se machucar, algumas de uma forma muito grave e até irreparável. É uma história muito boa.

Está dada a dica para Próxima Leitura, espero que tenham se interessado.

Obrigado por nos acompanhar

Até o próximo post

Compare os preços deste livro clicando aqui
Ou veja o preço na loja de sua preferência:
Cultura Saraiva Submarino
JP
JP

Especificações Técnicas

Especificações técnicas:

ISBN: 8562936111

ISBN-13: 9788562936111

Idioma: português

Encadernação: Brochura

Edição:

Ano de Lançamento: 2010

Número de páginas: 288

Editora: LeYa

Fonte: Livraria Cultura

Pesquisas recentes:

anime a menina que não sabia o nome da sua mãe, livro o menino que nao sabia ler, O menino que não sabia ler, Quem intentou a leitura como sabia escrever se ele nao sabia ler
JP

JP

Fascinado pelo Mundo de Magia e Bruxaria criado por J.K. Rowling e louco pelos romances policiais de Harlan Coben, JP está realizando seu sonho de criar sua própria biblioteca em casa e agora sonha em publicar um de seus vários projetos já iniciados. É apaixonado por livros e deseja passar essa paixão adiante, tocando as pessoas com sinceridade, diversão e cultura.
JP

Últimos posts por JP (exibir todos)

JP

Fascinado pelo Mundo de Magia e Bruxaria criado por J.K. Rowling e louco pelos romances policiais de Harlan Coben, JP está realizando seu sonho de criar sua própria biblioteca em casa e agora sonha em publicar um de seus vários projetos já iniciados. É apaixonado por livros e deseja passar essa paixão adiante, tocando as pessoas com sinceridade, diversão e cultura.

E aí? Gostou? Comente aqui o que você achou!