1984

Imagem retirada do site infoescola.com
Imagem retirada do site infoescola.com

Olá pessoal, tudo bom? Hoje irei falar sobre o livro 1984, do escritor George Orwell. Este livro retrata o cotidiano de uma sociedade regida pelo totalitarismo e como as pessoas que não se enquadram ao sistema são tratadas.

Para começar, vocês devem saber que o mundo retratado não é dividido da forma como o conhecemos; ele fora, antes de meados do século XX, dividido em três grandes superestados: a Eurásia, Lestásia e Oceânia. A Eurásia é formada pela junção da Rússia com a Europa, a Oceânia surgiu através da junção do Império Britânico e Estados Unidos e, por ultimo, a Lestásia, o menor de todos superestados, é constituída pela China, Japão e uma parcela da Manchúria, da Mongólia e do Tibete. Esses três superestados estão em  constante guerra para dominação do território do Oriente Médio, parte da África e a divisa entre a Eurásia e a Lestásia.

A história se passa na Oceânia, região essa que é regida por um Partido que executa os ideais do socing e possui o lema:

 

GUERRA É PAZ

LIBERDADE É ESCRAVIDÃO

IGNORÂNCIA É FORÇA

O partido é liderado pelo ditador conhecido como Grande Irmão, que está presente em diversos cartazes espalhados pelo território do estado com o slogan: “O Grande Irmão está de olho em você”. Esse slogan, apesar de passar a impressão de ser uma ameaça infundada, é realmente colocado em prática! Em todos os locais, incluindo estabelecimentos comerciais,  residenciais e locais públicos e abertos, são instaladas teletelas, que são máquinas que monitoram cada passo, cada expressão facial, cada sentimento e pensamento das pessoas dentro do local (privacidade pra que não é mesmo?).  Caso seja constatado algum movimento diferente, ou feição da pessoa que indique um pensamento que conteste de alguma forma o poder do governo (pensamento este chamado de crimepensamento), essa pessoa irá ser abordada pela polícia das Ideias! Essa polícia serve para oprimir e reprimir qualquer forma de contestação do poder do estado e, consequentemente, manter a “ordem”. A polícia das ideias possui um forte aliado: as crianças! Desde pequenas, as crianças são obrigadas a se unirem a um grupo chamado de Espiões; nesse grupo elas aprendem a adorar de forma cega e perigosa o partido, o grande irmão e todos os ideais do socing. Dessa forma, elas se tornam militantes do partido e acabam, quando julgam necessário, por denunciar integrantes da própria família para Polícia das Ideias alegando crimepensameto!

A sociedade da Oceânia é estruturada da seguinte forma: os proletariados (ou “proletas” como eles falam) que constituem a classe baixa da população e são a maioria; os membros do partido, que são as pessoas que trabalham para o partido; e o núcleo do partido, que são as pessoas que fazem parte do Partido. Os proletas e os membros do partido vivem uma vida com o que é essencial para a sobrevivência, ou seja, não possuem nenhum luxo ou qualquer coisa que seja fonte de prazer.

Algo que me chamou bastante atenção foram os Ministérios. O partido é constituído por quatro Ministérios, onde os membros do partido trabalham: o ministério da verdade, o da paz, o da pujança e o do amor.  O que acontece em cada ministério não tem absolutamente nada a ver com o que o nome sugere.

Começaremos pelo mistério da verdade, que é constituído por seis departamentos: o de documentação, de ficção, de propaganda, de tele-programas, de pesquisa e de música. No departamento de documentação, por exemplo, os funcionários são encarregados de manipular fatos históricos, documentos e declarações de acordo com os interesses do Partido. É dessa forma que o partido se torna 100% certo em todas as suas declarações e os fatos manipulados sustentam a forma de pensar propagada pelo socing.  Eles reescrevem os livros de acordo com seus interesses, inventam histórias para publicar nos jornais para justificar suas ações entre muitas outras barbaridades! É realmente inacreditável como a população é manipulada a todo tempo pelas verdades inventadas pelo partido.  

Nesse ministério também são tratados temas culturais, como música e poemas. A música foi a parte cultural que mais me chamou a atenção! Elas não são compostas por pessoas talentosas (ou não) como normalmente acontece, mas sim por máquinas que foram construídas para esse fim. Isso é muito bizarro! As letras, apesar de fazer sentido para as pessoas que as ouvem e cair no gosto popular, são elaboradas por máquinas programadas para compor o que as pessoas querem ouvir e mantê-las alienadas a realidade em que vivem.

O segundo ministério é o da Paz, que de pacífico não tem absolutamente nada! Nesse ministério são tratados temas pertinentes à Guerra interminável. Essa Guerra é um dos temas mais interessantes do livro, pois ela não tem exatamente uma razão de existir. O Partido propaga que a guerra existe por motivos territoriais, mas é muito além disso. A Guerra também existe para manter o ódio entre as populações de cada superestado e manter os proletas ocupados com a confecção de armamentos e, assim, manter a estrutura social estabelecida. 

O terceiro ministério, o da Pujança, existe para tratar de assuntos econômicos e comerciais. A presença desse ministério no cotidiano das pessoas se dá nos seus pronunciamentos através da Teletela mostrando dados que evidenciam a melhora da economia, o crescimento de alguns segmentos do comércio, entre outras pronunciações. Essas informações são sempre positivas, mas nunca são 100% verdadeiras.

O quarto, e ultimo ministério, é o do Amor. Ele, diferentemente do que o nome sugere, é encarregado de controlar as relações interpessoais dos cidadãos da Oceânia e para tanto ele faz uso da opressão e da tortura caso se faça necessário.

O partido interfere também em algo que é muito complexo de mudar: a fala das pessoas! A língua oficial da Oceânia é o inglês, porém o idioma é dividido em dois: a Velhafala e a Novafala. A Velhafala é constituída pelas palavras que conhecemos, já a Novafala é, na visão deles, uma forma melhorada da fala antiga. Ela contém bem menos palavras, pois, segundo a ideologia do partido, algumas palavras são desnecessárias, como é o caso dos sinônimos e até mesmo dos antônimos. Para eles, apenas uma palavra já basta pra expressar uma ideia, sendo assim, os sinônimos são desnecessários, e para representar o antônimo requer apenas um “des” na frente da palavra e o problema já está resolvido! Eles explicam muito mais do por que é necessária a transição para a Novafala, porém se eu contar tudo vocês não precisariam ler o livro !! hahahhaha

Agora que vocês já conhecem um pouco do cotidiano dos cidadãos da Oceânia, irei contar um pouco sobre o personagem principal da história: Winston Smith.

Winston é um homem de meia idade, residente no Estado da Oceânia e trabalha no Ministério da Paz. Por algum motivo inexplicável, ele não é como os outros cidadãos da Oceânia. Ele não acredita nos ideais do socing, enxerga o Grande Irmão como um cruel ditador que não deixa as pessoas viverem suas próprias vidas e o Partido como uma máquina opressora e geradora de ódio. Diferente das outras pessoas, ele se lembra um pouco do seu passado e lembra que o mundo nem sempre foi do jeito que é atualmente. Ele se recusa a acreditar que exista apenas o que o Partido diz que existe e ele se agarra a qualquer forma de indicio de que em algum momento as coisas foram diferentes. Com todo esse ódio ao partido e ao grande irmão, Winston procura comprovar a existência de um movimento revolucionário que objetiva destruir o Grande Irmão e tudo mais relacionado a ele. Esse movimento é conhecido com Confrária e, dizem os boatos, que é liderada por um antigo aliado do Grande Irmão que o abandonou e agora dedica sua vida a destruí-lo.

Durante o trabalho, Winston conhece uma jovem muito bonita chamada Júlia. Desobedecendo muitas algumas regras do Partido, Júlia e Winston começam a namorar. Júlia também não concorda com muitas coisas pregadas pelo governo, porém ela não possui o mesmo espírito revolucionário de Winston e não tem a esperança de que um dia as coisas irão mudar; ela apenas burla algumas regras do partido para mostrar que ela é dona de si mesma e que ela faz o que bem entender!

Bom, agora vocês já sabem, com mais detalhes, sobre o que o livro se trata, porém falta muita história para ser descoberta! Espero que gostem do livro tanto quanto eu gostei, e fica uma dica para fazer essa leitura: Não basta apenas ler, tem que pensar para entender!

Compare os preços deste livro clicando aqui.
Ou veja o preço na loja de sua preferência:
Cultura Saraiva Submarino 
Carol
Carol

Especificações técnicas:

ISBN: 8535914846

ISBN-13: 9788535914849

Idioma: português

Encadernação: Brochura

Edição: 1ª

Ano de Lançamento: 2009

Número de páginas: 416

Editora: Companhia das Letras

Fonte: Livraria Cultura

Pesquisas recentes:

1984 cultura

E aí? Gostou? Comente aqui o que você achou!