Se Eu Ficar

Imagem retirada do site submarino.com.br
Imagem retirada do site submarino.com.br

Oi, pessoal! Como vocês estão?

Hoje eu vou falar de um livro que inspirou um filme: Se Eu Ficar da autora Gayle Forman. 

A história que vamos conhecer é narrada por Mia, só que há algo diferente nessa história, pois existem duas Mias e elas são a mesma pessoa. Não entendeu? Vou explicar melhor.

Mia tem uma família que ama música, o pai já tocou numa banda e também era compositor, a mãe é uma apreciadora de música e até o irmãozinho de Mia, o pequeno Teddy, toca bateria. Claro que Mia também tem um pezinho na música. Um pezinho não, o corpo todo, principalmente as mãos. Mia é violoncelista, ela é apaixonada pelo violoncelo e se esforça muito para ser uma ótima musicista (mesmo que tenha tido uma fase aí em que ela pensou se era isso mesmo que ela queria). 

A vida está normal para a família de Mia. Ela está no último ano do ensino médio, fez um teste para entrar na Juilliard e parece que foi bem; namora um garoto chamado Adam, que toca na banda Shooting Star, que está começando a fazer sucesso. Adam é um cara bacana, está na faculdade, trabalha e os pais de Mia o adoram.

Concordam que é uma vida normal pra se levar? Mas é claro que algo tem que acontecer pra quebrar essa normalidade, senão a história seria algo muito…normal. Então agora eu explico pra vocês o que eu disse sobre as duas Mias. Vamos para o começo do livro.

O livro começa com a notícia de que não haverá aulas naquele dia por causa da neve que caiu, então Mia e Teddy não terão que ir à escola e nem o pai deles, que tornou-se um professor. Pra não ficar de fora, a mãe de Mia liga pro trabalho e diz que não vai trabalhar naquele dia também.

Um dia de folga, o que fazer? A família decide ir visitar Henry e Willow, amigos da família que tiveram um filho há pouco tempo e está numa fase muito fofa. E aí no caminho algo acontece: um caminhão vem na direção do automóvel da família de Mia e se choca com o carro que transportava mãe, pai e dois filhos. Mesmo depois do impacto, o rádio continuou tocando a música que eles estavam ouvindo antes do acidente. 

Mia está agora em uma valeta, ela se levanta e vê a lataria que se tornou o que há pouco tempo atrás era um carro. Ela caminha procurando seus pais e seu irmão. Em pouco tempo ela encontra os corpos sem vida dos seus pais. Um pouco mais a frente ela vê outro corpo, que ela pensava ser o de Teddy, seu irmão, mas não era. O corpo que ela está vendo está vestindo a mesma roupa que ela, tem o mesmo cabelo, é idêntica a ela, a única diferença é que a Mia que ela vê no chão está extremamente ferida, quase morta.

Temos então uma Mia acidentada e uma Mia observadora, que é a que nos conta a história; ela é uma Mia que saiu/está fora do próprio corpo. O corpo de Mia é levado para o hospital, onde passa por cirurgias e procedimentos médicos para que continue viva. 

Mia iria ao show do seu namorado ver a Shooting Star tocar, agora Adam não sabe o que aconteceu com ela e não há quem possa contar pra ele. Ele vai achar que ela não quis ir. Ninguém vai atender o celular quando ele ligar procurando por ela. E agora? E essa Mia observadora? Por que só ela está assim, fora do próprio corpo, passando por isso? Por que não há mais ninguém nesse mesmo estado com quem ela possa conversar? Será que morrer é assim? Seria essa uma passagem? E o Teddy? O que aconteceu com ele? Estará vivo?

Mia descobrirá que depende dela querer ficar nesse mundo ou deixá-lo. Será que ela escolheria morrer e deixaria o namorado dela sozinho? Mas como seria escolher viver e ter que voltar para um mundo sem pais? Sem contar que ela pode voltar com vários danos cerebrais. Será que ela ainda conseguiria tocar violoncelo? Mia agora terá que fazer sua escolha. Enquanto isso, seu corpo permanece naquela cama de hospital na UTI e seus parentes, amigos e namorado sofrem com a incerteza do futuro de uma garota tão talentosa e querida. Fecho essa parte com uma fala que ouvi numa peça de teatro: “A vida é cheia de escolhas difíceis”.

Gostei bastante do livro. É uma história bem simples, sem muito drama e enrolação, ela simplesmente se desenvolve de uma forma muito natural, nada voltada para uma parte religiosa ou espiritual. A leitura é muito rápida, quem quiser ler antes do filme sair, uma semana dá e sobra. O filme Se eu ficar estreia no Brasil dia 4 de setembro de 2014.

Ah, o fim do livro também traz uma prévia do próximo livro da autora Gayle Forman, chamado Para onde ela foi. Eu li e gostei muito! Além disso, tem uma entrevista muito interessante com os atores do filme Chloë Grace Moretz (que interpreta Mia) e Jamie Blackley (que interpreta Adam). Caso queiram assistir ao trailer do filme:

É isso, pessoal! Espero que tenham gostado. Comentem o que vocês acharam, o que esperam do filme, se vão ler o livro… Comentários são sempre bem-vindos!

Um abraço e até o próximo post!

Compare os preços deste livro clicando aqui.
Ou veja o preço na loja de sua preferência:
Cultura Saraiva Submarino 
JP
JP

Especificações técnicas:

ISBN: 8581635415

ISBN-13: 9788581635415

Idioma: português

Encadernação: Brochura

Edição: 1ª

Ano de Lançamento: 2014

Número de páginas: 224

Fonte: Livraria Cultura

Referências: imdb.com e adorocinema.com

Pesquisas recentes:

filme Se eu falar
JP

JP

Fascinado pelo Mundo de Magia e Bruxaria criado por J.K. Rowling e louco pelos romances policiais de Harlan Coben, JP está realizando seu sonho de criar sua própria biblioteca em casa e agora sonha em publicar um de seus vários projetos já iniciados. É apaixonado por livros e deseja passar essa paixão adiante, tocando as pessoas com sinceridade, diversão e cultura.
JP

Últimos posts por JP (exibir todos)

JP

Fascinado pelo Mundo de Magia e Bruxaria criado por J.K. Rowling e louco pelos romances policiais de Harlan Coben, JP está realizando seu sonho de criar sua própria biblioteca em casa e agora sonha em publicar um de seus vários projetos já iniciados. É apaixonado por livros e deseja passar essa paixão adiante, tocando as pessoas com sinceridade, diversão e cultura.

7 comentários em “Se Eu Ficar

E aí? Gostou? Comente aqui o que você achou!