O Incolor Tsukuru Tazaki e Seus Anos de Peregrinação

Livro O incolor tsukuru tazaki e seus anos de peregrinação Haruki Murakami Capa ResenhaOlá, pessoal! Tudo bem? Que friozinho bom que chegou heim?!

Hoje trouxe um livro um pouco diferente dos que normalmente eu leio. A minha amiga Martina me emprestou e demorei para pegar no “embalo” da leitura, mas quando peguei não consegui mais largar! =P Do mesmo autor de “1Q84”… já sabem? Vamos lá?

O Incolor Tsukuru Tazaki e Seus Anos de Peregrinação por Haruki Murakami

A nossa história é narrada em primeira pessoa pelo Tsukuru Tazaki em 2 momentos de sua vida. Um momento de quando estava na faculdade e outro de quando já havia se formado e tinha uma vida profissional estável. A história vai e volta e no começo fiquei um pouco confusa mas logo me acostumei.

Bom, o livro tem um início muito, muito, mas muito depressivo, pois o nosso personagem simplesmente quer se matar. Assiste à aula, não tem amigo, conversa somente se necessário e nas horas vagas quer se matar. Sim. Agora pensa, eu comecei a ler o livro no natal de 2014… Li 5 páginas e tive que deixar um pouquinho de lado, pois era depressão demais. Ou seja, recomendo que comecem a leitura quando estiverem bem! :)

Tsukuru vai contar o porquê de tanta depressão quando ele já está formado e trabalhando em uma companhia de ferroviária. Neste momento ele conhece Sara, uma moça 2 anos mais velha que ele e que trabalha em uma grande agência de viagens. Aliás, essa moça será a personagem chave para dar uma mudada no Tsukuru, que ainda adulto tinha o trauma. 

Na época do ensino médio, Tsukuru tinha um grupo de amigos muito, muito mas muito importante para ele. Era um grupo de 5 integrantes, sendo: o Akamatsu, que significa “Pinheiro vermelho” e no grupo era chamado de Aka (Vermelho em japonês); Ômi que significa “Mar azul” e no grupo era chamado de Ao (Azul em japonês); Shirane que significa “Raiz Branca” e no grupo era chamada de Shiro (Branco em japonês); e Kurono que significa “Campo preto” e no grupo chamada de Kuro (Preto em japonês).

Deu para entender o porquê do título, né? O Tsukuru Tazaki era o único que não tinha em seu sobrenome uma cor. Tsukuru se sentia muito inferior aos seus 4 amigos, pois segundo ele, além de não ter uma cor, se sentia “sem sentido”, “sem graça”, normal demais. Mas além de tudo isso Tsukuru tinha uma dependência muito grande dessa relação de amizade que eles tinham.

Chega então o momento da escolha da faculdade. Diferentemente de seus 4 amigos que decidiram ficar em Nagoia, Tsukuru decide que vai à Tóquio fazer a sua graduação de Engenharia. Mas isto não causou nada de negativo no relacionamento dos 5. Pois sempre quando Tsukuru voltava para a sua cidade natal, sempre, SEMPRE encontrava os 4 amigos e o encontro com eles era sempre, SEMPRE a mesma coisa, parecendo até não existir a distância entre eles.

No entanto um dia acontece algo e tudo isso que Tsukuru confiava e dependia tanto acaba. 

“Essa mudança drástica aconteceu nas férias de verão do segundo ano da faculdade. Depois daquele verão, a vida de Tsukuru Tazaki se tornou algo completamente diferente de antes. Como um cume íngreme de pedra que altera as características da flora antes e depois dele.”

Tsukuru volta a Nagoia e logo liga para os seus amigos. No entanto ninguém o atende e também não retorna. Ele acha estranho, mas vai tentando falar com algum deles. Até que ele consegue um contato com o Azul que diz que o grupo inteiro não quer encontrá-lo e nem falar com ele. O motivo? Segundo Azul, o Tsukuru DEVERIA saber… 

Logicamente que Tsukuru não sabe de nada e fica perdido… Ele simplesmente foi rejeitado do grupo que ele necessitava para seguir em frente. Era uma relação que constituía a base de sua vida. Sim, podemos dizer que é como uma família, e sem mais nem menos, ele é excluído do grupo. A causa? Nem pensando por muitos e muitos anos ele não conseguiu saber. 

Acompanhamos o Tsukuru em momentos mais tristes até a sua quase recuperação. Mas somente quando ele se encontrou com a Sara que ele conseguiu encontrar forças para voltar ao seu passado, reencontrar seus amigos um a um e descobrir o que aconteceu. E quem lhe dá o maior incentivo? A mulher que ele está gostando, Sara. :) 

Reconheço que não é um livro que todos irão gostar, pois Haruki Murakami tem uma escrita um pouco seca e direta. É só imaginar um japonês tradicional contando uma história (hahahahahaha). Mas foi uma leitura que valeu a pena e que nos faz refletir com alguns pensamentos que temos no nosso dia a dia de dar valor aos nossos amigos e momentos que passamos com eles.

Há acontecimentos que, sinceramente, não entendi porque existem, e nem porque do Haida (um amigo da faculdade do Tsukuru) ter aparecido no livro, mas não deixa de ser um “momento” da vida do Tsukuru… né? Se alguém já leu e tem uma justificativa para Haida, por favor, fala comigo? rs.

Então é isso gente! Aqui vão as minha quatro estrelinhas :) Avalie você também!

Obs.: Incluindo com certeza o Tsukuru, mas excluindo um(a) dos(as) amigos(as) de Tsukuru, pois não consegui gostar do(a) personagem… :X

Minha avaliação:

A avaliação de vocês:

 

Muito Obrigada!

Fiquem à vontade para comentar, opinar e enviar suas sugestões, todas serão bem-vindas! Okay?

Obrigada e um ótimo final de semana! Até a próxima leitura =)

Compare os preços deste livro clicando aqui.
Ou veja o preço na loja de sua preferência:
Cultura Saraiva Submarino
Lih
Lih

Especificações Técnicas

Especificações técnicas:

ISBN: 8579623375

ISBN-13: 9788579623370

Idioma: português

Encadernação: Brochura

Edição: 1ª

Ano de Lançamento: 2014

Número de páginas: 328

Editora: Alfaguara

Fonte: Livraria Cultura 

Lih
Lih

Últimos posts por Lih (exibir todos)

E aí? Gostou? Comente aqui o que você achou!