Lançamentos de Abril – Editora Intrínseca

Oi, pessoal! Tudo bem? Vim aqui começar a falar sobre os lançamentos do mês de abril e, como geralmente faço, vou começar com os lançamentos da Editora Intrínseca! Vamos lá!

 

Resenha Eu sou o Peregrino Terry Hayes Capa LivroEu sou o Peregrino – Terry Hayes

Uma mulher é assassinada em um hotel decadente de Manhattan, seus traços dissolvidos em ácido. Um pai é decapitado em praça pública sob o sol escaldante da Arábia Saudita. Na Síria, um especialista em biotecnologia tem os olhos arrancados ainda vivo. Restos humanos ardem em brasas na cordilheira Hindu Kush, no Afeganistão. Uma conspiração perfeita, arquitetada para cometer um crime terrível contra a humanidade, e apenas uma pessoa é capaz de descobrir o ponto exato em que todas essas histórias se cruzam.

Peregrino é o codinome de um homem que não existe. Alguém com tantas identidades que mal consegue lembrar seu verdadeiro nome. Adotado ainda jovem por uma família rica, ele se tornou um importante profissional da espionagem. Em uma perseguição cinematográfica, Peregrino cruza o mundo, da Arábia Saudita às ruínas da Turquia; do Afeganistão ao Salão Oval da Casa Branca. Um caminho doloroso e repleto de ameaças inesperadas, na busca por um homem desconhecido cujo plano é desencadear uma destruição em massa sem precedentes.

Romance de estreia do renomado roteirista britânico Terry Hayes, Eu sou o Peregrino é uma narrativa ágil, com ritmo alucinante, cujos personagens são construídos de forma primorosa em toda sua complexidade psicológica. Uma jornada épica e imprevisível contra um inimigo implacável.

Compare os preços deste livro clicando aqui.
Ou veja o preço na loja de sua preferência:
 Cultura Saraiva Submarino 
 

Resenha O amor segundo Buenos Aires Fernando Scheller Capa LivroO amor segundo Buenos Aires Fernando Scheller

Buenos Aires, com suas largas avenidas, cafés em estilo europeu e bairros charmosamente decadentes, é cenário e ao mesmo tempo personagem das histórias de amor presentes neste romance arrebatador.

É por amor que Hugo deixa o Brasil rumo à capital argentina. Embora o relacionamento com Leonor não sobreviva, seu fascínio pela cidade resiste à dor da separação e à descoberta de que sofre de uma grave doença. Hugo cria laços com o arquiteto Eduardo e com a comissária de bordo Carolina, que evidenciam o poder regenerador das amizades verdadeiras. Ele se reaproxima de seu pai, Pedro, que troca a rotina de um casamento desgastado por uma vida em que é possível encontrar profundos afetos.

Cada personagem tem a oportunidade de contar a sua versão dos fatos, numa trama absolutamente democrática. Impossível não se encantar com a presença de espírito e o senso de humor de Carolina, a lealdade de Eduardo, a sensatez e a determinação de Daniel, o jeito excêntrico de Charlotte. Em comum, esses personagens adoráveis têm uma enorme capacidade de amar.

Fernando Scheller se envereda por calles e sitios para desenhar um mapa afetivo da cidade, levando o leitor a lugares famosos, como a feira de San Telmo, mas também a redutos que poucos brasileiros conhecem, como a livraria Caligari, no bairro de Caballito. O amor segundo Buenos Aires convida o leitor a mergulhar de cabeça nos desafios impostos pelo mais nobre dos sentimentos, sejam quais forem o gênero, a idade e a condição social.

Compare os preços deste livro clicando aqui.
Ou veja o preço na loja de sua preferência:
 Cultura Saraiva 
 

Resenha É isso que eu faço Lynsey Addario Capa LivroÉ isso que eu faço – Lynsey Addario

Lynsey Addario ainda tentava se estabelecer no fotojornalismo quando os atentados do 11 de Setembro sacudiram o mundo. Por ser um dos poucos profissionais da época com alguma experiência no Afeganistão, ela foi chamada para voltar ao Oriente Médio e cobrir a invasão americana. Foi quando fez uma escolha que se repetiria muitas vezes depois: abrir mão do conforto e da previsibilidade a fim de correr o mundo confrontando com sua câmera as mais duras verdades.

As imagens captadas pelas lentes de Lynsey parecem buscar sempre um propósito maior. No livro, ela retrata os afegãos antes e depois do regime talibã, os cidadãos vitimados pela guerra e os insurgentes incompreendidos no Iraque. Expõe a cultura de violência contra a mulher no Congo e narra a ocasião do próprio sequestro, orquestrado pelas forças pró-Kadafi durante a guerra civil na Líbia.

Apesar da presumível bravura, Lynsey não é de todo destemida. Do medo, ela tira o olhar de empatia essencial à profissão. Quando entrevista vítimas de estupro, fotografa um soldado alvejado em combate ou documenta a trágica vida das crianças famintas na Somália, é essa empatia que nos transporta para os lugares onde ela esteve, e então começamos a entender como o ímpeto de retratar a verdade triunfa sobre o terror.

Testemunha de tantas insurreições, Lynsey sabe que não documenta apenas notícias, mas o próprio destino da humanidade. O que ela faz, com clareza, suavidade e beleza, é registrar a realidade muitas vezes em sua condição mais extrema. Mais do que a história de uma vida nas linhas de combate, É isso que eu faço é um testemunho tocante do custo humano da guerra.

Compare os preços deste livro clicando aqui.
Ou veja o preço na loja de sua preferência:
 Cultura Saraiva Submarino 
 

Resenha Alucinadamente feliz Jenny Lawson Capa LivroAlucinadamente feliz – Jenny Lawson

Escrever um livro ridiculamente hilário sobre depressão e ansiedade — de início, pode até parecer uma péssima ideia, mas virando as páginas você vai ver que péssimas ideias são o ponto forte de Jenny Lawson. E às vezes, como em Alucinadamente feliz, elas dão mais do que certo. Jenny explora de maneira franca e bem-humorada os altos (muito altos) e baixos (muito baixos) de sua batalha contínua contra os transtornos mentais.

Mergulhada em mais uma crise de depressão numa semana cheia de notícias ruins, Jenny de repente decidiu não se deixar escravizar pelas emoções negativas e fazer de tudo para se sentir feliz. Não só feliz. Alucinadamente feliz. Desde então, mesmo reconhecendo que ainda há períodos em que a depressão leva a melhor e fica impossível sair da cama, Jenny se empenha no exercício constante de buscar o lado mais insólito dessas situações e dele extrair a alegria que vai salvá-la.

Alucinadamente feliz é um depoimento surpreendente em defesa de aceitarmos tudo aquilo que nos torna quem somos — as belezas e as falhas — e então usarmos esses elementos para encontrar a felicidade de uma forma escandalosamente fantástica. Um tipo de loucura que, afinal, não é nada ruim.

Compare os preços deste livro clicando aqui.
Ou veja o preço na loja de sua preferência:
 Cultura Saraiva 
 

Resenha Solteirona Kate Bolick Capa LivroSolteirona: O direito de escolher a própria vida – Kate Bolick

Em uma análise inteligente e bem-vinda dos prazeres e possibilidades de ficar solteira, a jornalista e crítica cultural Kate Bolick parte da própria experiência para ponderar o porquê de ela e mais de cem milhões de americanas, hoje, preferirem ficar solteiras.

As projeções apontam que esse número só tende a crescer, mas, mesmo assim, uma mulher passar batida pelos vinte, trinta anos sem se casar continua sendo uma questão — mesmo, e talvez principalmente, se isso for uma escolha deliberada. Bolick apresenta um elenco de personalidades femininas do último século que, pela genialidade e determinação, são representantes inspiradoras de sua escolha: a colunista Neith Boyce, a ensaísta Maeve Brennan, a visionária Charlotte Perkins Gilman, a poeta Edna St. Vincent Millay e a escritora Edith Wharton. Ao destacar a trajetória nada convencional dessas mulheres, Bolick faz lembrar quão atemporal é o dilema a respeito de se casar e ter filhos e levanta uma pauta ainda mais crucial nessa discussão: o direito de escolher a própria vida.

Intensamente pessoal e bem embasado, Solteirona é ao mesmo tempo um inquietante livro de memórias e uma ampla análise cultural dessa encruzilhada que não deveria, mas tanto interfere no universo feminino. Uma defesa da liberdade da mulher de ser autêntica e fiel às inúmeras possibilidades de futuro que ela pode e deve projetar para si mesma.

Compare os preços deste livro clicando aqui.
Ou veja o preço na loja de sua preferência:
 Cultura Saraiva 
 

Resenha O mistério do mapa Série Poptropica livro 1 Jack Chabert e Kory Merritt CapaO mistério do mapa Série Poptropica (livro 1) – Jack Chabert e Kory Merritt

Quando decidiram embarcar em um passeio de balão, Oliver, Mya e Jorge nunca poderiam imaginar que acabariam caindo em uma ilha desconhecida habitada por animais exóticos e uma horda de vikings raivosos. Bem-vindo a Poptropica: um arquipélago completamente fora dos mapas, cuja existência é mantida em segredo do restante do mundo.

Neste primeiro volume da história, os três amigos encontram um mapa mágico e se aventuram em uma perigosa jornada para tentar encontrar o caminho de volta para casa. Porém, os habitantes da ilha — incluindo o assustador líder dos vikings, Erik, o Vermelho — estão nos calcanhares deles, e Octavian, o capitão do balão, responsável por estarem presos naquela ilha, quer seu mapa de volta. Será que Oliver, Mya e Jorge vão conseguir fugir das garras dos sanguinários vikings e encontrar um jeito de escapar da ilha e de Octavian?

Compare os preços deste livro clicando aqui.
Ou veja o preço na loja de sua preferência:
 Cultura Saraiva  
 

Resenha A agenda antiplanos Keri Smith Capa LivroA agenda antiplanos – Keri Smith

Autora do sucesso Destrua este diário, Keri Smith surge agora com a proposta de uma agenda desestruturada, que pretende muito mais inspirar sua criatividade e muito menos organizar seu dia a dia. Com espaços sem data e distribuídos aleatoriamente para você fazer um resumo do mês que desejar, o livro funciona como um diário criativo, que vai ajudar o leitor a expressar os pensamentos, mas de uma forma nada limitada nem previsível.

Um diário que foca simultaneamente no hoje e no amanhã pode parecer paradoxal, mas Keri Smith prova o contrário. A partir da ideia de que a busca pela organização e pelo perfeccionismo tão exaltada na cultura moderna é na verdade um grande empecilho do processo criativo, o estilo, a forma e a proposta pouco convencional de A agenda antiplanos, ao mesmo tempo que entretêm, levam à reflexão. Capturando momentos e estados de espírito, ele convida o leitor a controlar menos e experimentar mais, a deixar de levar tudo tão a sério e simplesmente viver. E o principal: a se divertir!

Compare os preços deste livro clicando aqui.
Ou veja o preço na loja de sua preferência:
 Cultura Saraiva Submarino 
 

Algum desses lançamentos da Editora Intrínseca chamou sua atenção? Eu sei que eu sempre fico curioso com os lançamentos da Keri Smith =)

Sintam-se à vontade para comentar e falar o que vocês acharam. Um grande abraço e até o próximo post!

JP

JP

Fascinado pelo Mundo de Magia e Bruxaria criado por J.K. Rowling e louco pelos romances policiais de Harlan Coben, JP está realizando seu sonho de criar sua própria biblioteca em casa e agora sonha em publicar um de seus vários projetos já iniciados. É apaixonado por livros e deseja passar essa paixão adiante, tocando as pessoas com sinceridade, diversão e cultura.
JP

Últimos posts por JP (exibir todos)

JP

Fascinado pelo Mundo de Magia e Bruxaria criado por J.K. Rowling e louco pelos romances policiais de Harlan Coben, JP está realizando seu sonho de criar sua própria biblioteca em casa e agora sonha em publicar um de seus vários projetos já iniciados. É apaixonado por livros e deseja passar essa paixão adiante, tocando as pessoas com sinceridade, diversão e cultura.

E aí? Gostou? Comente aqui o que você achou!