Persépolis (HQ)

Resenha Persépolis Marjane Satrapi HQ CapaOi, pessoal! Tudo bem? Demorou, mas chegou! Comentei em um vídeo que eu tinha lido a HQ Persépolis e finalmente estou aqui para contar um pouco sobre a história e falar o que eu achei. Depois do VEDA as coisas deram uma acalmada e estou me esforçando pra colocar o conteúdo em dia, mas confesso que a edição da minha Bookshelf Tour também tem me ocupado bastante. Enfim, chega de desculpas! Vamos falar sobre Persépolis!

A HQ é na verdade uma autobiografia. Marjane Ebihamis, uma iraniana cujo nome artístico é Marjane Satrapi, conta como que foi sua vida antes, durante e depois da Revolução Iraniana, também chamada de Revolução Islâmica.

Acompanhamos a vida de Marjane desde a sua infância até o início de sua vida adulta. Então veremos, por exemplo, quando ela, ainda criança, foi obrigada a usar o véu islâmico. Todas as mulheres deveriam cobrir seus corpos e também o cabelo, pois, falando bem por cima, foi cientificamente comprovado que o cabelo influencia o homem a se sentir atraído por uma mulher, isso também se aplica à pele exposta ou roupas justas realçando as curvas, por isso as mulheres tinham que cobrir todo o seu corpo, incluindo o cabelo, para não incitarem os homens. Com as crianças, até mesmo por causa da idade, o véu era utilizado também como uma brincadeira, mas logo a “seriedade” do uso do véu passou a ser “compreendida” e com o passar do tempo os costumes começaram a ser modificados, tornando-se mais complicados de serem aceitos.

Conhecemos a realidade e o papel da mulher nessa sociedade, algo que para nós pode ser inaceitável e um absurdo, mas os costumes foram retratados com muita fidelidade. Veremos o crescimento de Marjane e, junto com isso, o avanço da revolução. Começa a ser comum a ida para outro país por causa da revolução. Na escola, a conversa entre amigos começa a ter como assunto os familiares que foram capturados e torturados. Enquanto vamos acompanhando a vida de Marjane, acompanhamos também a história do país.

Em um certo momento, ainda muito nova, Marjane muda de país por causa do regime iraniano, Viena se torna seu novo lar. Lá ela conheceu como seu país era visto por outros olhos, conheceu outros costumes, o preconceito e em sua fase final neste local, chegou a morar na rua, onde quase morreu por causa de uma pneumonia muito forte.

Marjane se vê em meio a diversas mudanças que moldarão o seu futuro juntamente com suas próprias escolhas. Ela não aceita o que considera errado e desde cedo luta pelo o que acha que é correto, participando até mesmo de manifestações e enfrentando autoridades por o que ela acreditava serem os seus direitos.

Acompanhamos coisas que, como eu disse antes, para nós são absurdas. Vou contar algumas delas para vocês. Por exemplo, um dia em que Marjane corria na rua atrás de um ônibus e guardas chamaram sua atenção, dizendo que ela não deveria correr porque este ato fazia com que seus glúteos fizessem movimentos impudicos, ao que ela respondeu gritando “Então é só vocês não ficarem olhando para a minha bunda!”. Obviamente que ela poderia ser presa por isso, mas o comportamento dela foi tão surpreendente que os guardas ficaram sem reação. Outra vez Marjane chegou a passar um dia inteiro no comitê por causa de meias vermelhas. Homossexuais não podiam se assumir, pois ser gay era um crime com pena de morte. O simples fato de um homem e uma mulher estarem andando juntos na rua, já era motivo para os guardas fazerem questionamentos, jovens casais que se mostravam em público corriam perigo e era aconselhável ter uma cópia da certidão de casamento. Se o jovem casal não era unido pelos laços sagrados, eram levados para uma delegacia, onde sairiam mediante ao pagamento de fiança, que se não fosse paga, resultaria em chicoteadas na jovem. 

Enfim, dentre a tantas censuras e imposições, Marjane cresceu em uma família bastante compreensiva e mente aberta. Ela pôde fazer suas escolhas e aprender com seus erros, tornando-se independente e enfrentando as dificuldades que apareciam pela frente.

Ler esta HQ foi uma ótima experiência. Eu nunca me dei muito bem com História na escola e acho que se outros assuntos pudessem ser complementados dessa forma, com uma história em quadrinhos, eu teria me saído bem melhor hahaha. Foi uma leitura didática e proveitosa e eu indico essa HQ para todos. Sinto que eu deveria ter começado a ler HQs bem antes, mas antes tarde do que mais tarde né? =)

Minha avaliação:

A avaliação de vocês:

 

É isso que eu tenho por hoje para vocês, pessoal! Espero que vocês tenham gostado do post de hoje. Não deixem de comentar para eu saber o que vocês acharam. Pode ser sobre o post, sobre a HQ, sobre o que eu citei que me deixou revoltado…Agradeço a atenção de vocês, um grande abraço e até o próximo post.

Compare os preços deste livro clicando aqui
Ou veja o preço na loja de sua preferência:
 Cultura Saraiva Submarino 
JP
JP

Especificações Técnicas

Especificações técnicas:

ISBN: 8535911626

ISBN-13: 9788535911626

Idioma: português

Encadernação: Brochura

Edição: 1ª

Ano de Lançamento: 2007

Número de páginas: 352

Editora: Companhia das Letras

Fonte: Livraria Cultura

JP

JP

Fascinado pelo Mundo de Magia e Bruxaria criado por J.K. Rowling e louco pelos romances policiais de Harlan Coben, JP está realizando seu sonho de criar sua própria biblioteca em casa e agora sonha em publicar um de seus vários projetos já iniciados. É apaixonado por livros e deseja passar essa paixão adiante, tocando as pessoas com sinceridade, diversão e cultura.
JP

JP

Fascinado pelo Mundo de Magia e Bruxaria criado por J.K. Rowling e louco pelos romances policiais de Harlan Coben, JP está realizando seu sonho de criar sua própria biblioteca em casa e agora sonha em publicar um de seus vários projetos já iniciados. É apaixonado por livros e deseja passar essa paixão adiante, tocando as pessoas com sinceridade, diversão e cultura.

E aí? Gostou? Comente aqui o que você achou!