Cova 312

Capa_Cova_312_FIN.inddOlá, pessoal, tudo bem? Sei que estou um pouco sumida, vocês devem estar sentindo falta das resenhas do Desventuras em Série e ansiosos pra saber como andam as minhas metas de leitura. Este mês foi um pouco difícil, tive que refletir sobre muitas coisas. Mas posso garantir para vocês que não sumirei novamente, descobri que não consigo viver sem vocês e sem toda essa equipe maravilhosa do CPL. :)

Lembram-se que no meu último post contei a vocês sobre o Cova 312, outro livro de Daniela Arbex (a mesma de Holocausto Brasileiro)? Então, vim contar quais são as impressões que tive durante a leitura deste livro que, sem dúvida, foi emocionante.

Quando comecei a lê-lo, já tinha uma ideia da história. Achei ela muito semelhante a de Vladimir Herzog que, supostamente, teria cometido suicídio no DOI/CODI, lugar onde eram feitas as sessões de tortura na época da ditadura militar. Daniela relata a história de outro militante, menos conhecido, mas que possui uma história tão emocionante quanto a de Vladimir.

Milton Soares de Castro, 26 anos, integrante de um grupo de guerrilha que tem sua origem na Serra do Caparaó, com o apoio de Cuba e de Leonel Brizola, cunhado do ex- presidente João Goulart (deposto no golpe de 1964), possui uma história não muito longa. Alguns anos depois de sua entrada no grupo ele é preso e vira um “suicida” da Penitenciária de Linhares, em Juiz de Fora-MG. O mais estranho é que seu corpo desaparece. E é Daniela quem desafia o passado tentando ressuscitar uma história que estava confinada nos porões da ditadura militar.

Daniela não se prende só à história de Milton. Outras pessoas que estão relacionadas, direta ou indiretamente, também têm suas histórias contadas. Através de uma série de fontes, a jornalista reconta todas essas histórias de forma bem romanceada. Totalmente diferente do que encontramos em Holocausto Brasileiro, que possui um enredo muito mais bruto e direto. Todos se lembram da ressaca que enfrentei após essa leitura.

Os projetos gráficos são muito semelhantes de uma obra para outra. Ela colocou várias fotos das fontes que utilizou, as quais nos proporcionam uma série de questionamentos. A que mais fiz durante a leitura foi: como ela organizou os diálogos das cenas de tortura? É possível ver que os relatórios, aos quais ela teve acesso, são muito diretos. Eles não retratam exatamente o que ocorreu dentro da sala de tortura, só o que foi respondido pelo detento. Daniela usou só sua imaginação? Será que é por isso que sua história têm um perfil tão romântico?

A leitura, sem dúvida, fluiu bem melhor do que com o Holocausto, e olha que estou muito emotiva nesses últimos dias. Até estou pronta para uma próxima leitura. Acredito que a Daniela ouviu de muito leitores que seu primeiro livro ficou bem denso, e resolveu aliviar no próximo.

Eu ofereço 4 estrelas e acredito muito no talento dessa jornalista que tem muito a nos mostrar ainda.

Minha avaliação:

A avaliação de vocês:

 

Obrigada pela companhia de vocês.

Boa leitura! ;D

Compare os preços deste livro clicando aqui
Ou veja o preço na sua loja de preferência

Amazon Cultura Saraiva Submarino

Especificações Técnicas

Especificações técnicas:

ISBN: 8581302734

ISBN-13: 9788581302737

Idioma: português

Encadernação: Brochura 

Edição: 1ª

Ano de Lançamento: 2015

Número de páginas: 344

Editora: Geração Editorial

Fonte: Livraria Cultura 

Isa

Isa

Superinteressada por história, sonha em utilizar sua futura profissão para melhorar o mundo. Apaixonada por literatura desde a infância, aprendeu com a Coleção Vagalume que o mundo pode ganhar novas cores a partir doslivros que chegam em suas mãos. Acredita também, que a educação e a cultura têm o poder de transformar o mundo.
Isa

Isa

Superinteressada por história, sonha em utilizar sua futura profissão para melhorar o mundo. Apaixonada por literatura desde a infância, aprendeu com a Coleção Vagalume que o mundo pode ganhar novas cores a partir dos livros que chegam em suas mãos. Acredita também, que a educação e a cultura têm o poder de transformar o mundo.

E aí? Gostou? Comente aqui o que você achou!