Lançamentos de Outubro – Editora Intrínseca

Oi, pessoal! Tudo bem com vocês? Hoje vim aqui começar a apresentar os lançamentos do mês de outubro para vocês e a editora que abre essa apresentação é a Editora Intrínseca! Teremos Neil Gaiman, Rick Riordan e muito mais, então vamos conhecer quais serão os títulos lançados!

 

resenha-deuses-americanos-neil-gaiman-livro-capaDeuses Americanos – Neil Gaiman

Deuses americanos é, acima de tudo, um livro estranho. E foi essa estranheza que tornou o romance de Neil Gaiman, publicado pela primeira vez em 2001, um clássico imediato. Nesta nova edição, preferida do autor, o leitor encontrará capítulos revistos e ampliados, artigos, uma entrevista com Gaiman e um inspirado texto de introdução.

A saga de Deuses americanos é contada ao longo da jornada de Shadow Moon, um ex-presidiário de trinta e poucos anos que acabou de ser libertado e cujo único objetivo é voltar para casa e para a esposa, Laura. Os planos de Shadow se transformam em poeira quando ele descobre que Laura morreu em um acidente de carro. Sem lar, sem emprego e sem rumo, ele conhece Wednesday, um homem de olhar enigmá- tico que está sempre com um sorriso no rosto, embora pareça nunca achar graça de nada.

Depois de apostas, brigas e um pouco de hidromel, Shadow aceita trabalhar para Wednesday e embarca em uma viagem tumultuada e reveladora por cidades inusitadas dos Estados Unidos, um país tão estranho para Shadow quanto para Gaiman. É nesses encontros e desencontros que o protagonista se depara com os deuses — os antigos (que chegaram ao Novo Mundo junto dos imigrantes) e os modernos (o dinheiro, a televisão, a tecnologia, as drogas) —, que estão se preparando para uma guerra que ninguém viu, mas que já começou. O motivo? O poder de não ser esquecido.

O que Gaiman constrói em Deuses americanos é um amálgama de múltiplas referências, uma mistura de road trip, fantasia e mistério — um exemplo má- ximo da versatilidade e da prosa lúdica e ao mesmo tempo cortante de Neil Gaiman, que, ao falar sobre deuses, fala sobre todos nós.

 

untitledA Filha Perdida – Elena Ferrante

“As coisas mais difíceis de falar são as que nós mesmos não conseguimos entender.” Com essa frase Elena Ferrante logo alerta os leitores: preparem-se, pois verdades dolorosas e perturbadoras estão prestes a ser reveladas.

Lançado originalmente em 2006 e ainda inédito no Brasil, o terceiro romance da autora que se consagrou por sua tetralogia napolitana acompanha os sentimentos conflitantes de uma professora universitária de meia-idade, Leda, que, aliviada depois de as filhas já crescidas se mudarem para o Canadá com o pai, decide tirar férias no litoral sul da Itália. Logo nos primeiros dias na praia, ela volta toda a sua atenção para uma ruidosa família de napolitanos, em especial para Nina, a jovem mãe de uma menininha chamada Elena que sempre está acompanhada de sua boneca. Cercada pelos parentes autoritários e absorvida pelos cuidados com a filha na praia, Nina parece perfeitamente à vontade no papel de mãe e faz Leda se lembrar de si mesma quando jovem e cheia de expectativas. A aproxima- ção das duas, no entanto, desencadeia em Leda uma enxurrada de lembranças da própria vida — e de segredos que ela nunca conseguiu revelar a ninguém.

No estilo inconfundível que a tornou conhecida no mundo todo, Elena Ferrante parte de elementos simples para construir uma narrativa poderosa sobre a maternidade e as consequências que a família pode ter na vida de diferentes gerações de mulheres.

 

untitledUma Noite na Praia – Elena Ferrante

Uma das mais importantes escritoras da atualidade, Elena Ferrante retorna ao universo de A filha perdida, romance que ela considera um divisor de águas em sua carreira, para contar essa fábula sombria, narrada do ponto de vista de Celina, uma boneca que é perdida em uma praia.

Após ganhar um gatinho de presente do pai, Mati — dona de Celina e sua melhor amiga — fica tão fascinada que acaba esquecendo a boneca, que é a sua favorita. Deixada para trás na areia deserta e sem saber como voltar para casa, Celina vai enfrentar uma noite interminável, cheia de sustos e surpresas, além da companhia indesejada de um salva-vidas cruel e seu terrível ancinho. À luz das chamas de uma fogueira, a noite transforma-se numa aventura fantástica e assustadora que só termina ao nascer do sol.

Uma história de impressões, percepções, ao mesmo tempo leve e repleta de tensão, dedicada não só ao pú- blico infantil, mas aos fãs da autora de todas as idades.

 

resenha-como-matar-a-borboleta-azul-dilma-monica-baumgarten-de-bolle-livro-capaComo matar a borboleta-azul: Uma crônica da era Dilma – Monica Baumgarten de Bolle

Conta-se que, na década de 1970, ao tentar se livrar de uma superpopulação de coelhos, os ingleses adotaram uma política tão bem-intencionada quanto equivocada, que culminou com a extinção da borboleta-azul no sul do país. O triste fim da bela borboleta é a metáfora escolhida pela economista Monica Baumgarten de Bolle para descrever a desconstrução do Brasil durante os anos de Dilma Rousseff à frente da nação. Depois de o Plano Real reduzir a infla- ção a patamares suportáveis e permitir a implantação de um conjunto de políticas sociais mais inclusivas, a presidente chegou ao poder determinada a reformular tudo. Na prática, sua gestão levou a economia brasileira a uma situação catastrófica cujos efeitos se farão sentir por muito tempo.

Em texto fluente, Monica acompanha erros e desacertos da presidente, ano a ano, desvendando cada um de seus desatinos. Porém, no lugar de gráficos e tabelas, o leitor encontra drama, uma história de suspense e terror, com vilãs, vilões e pouquíssimos heróis, narrada com pitadas de surrealismo e saborosas citações a filmes e obras da literatura. A dura realidade ganha contornos humanos e compreensíveis mesmo para quem não tem nenhuma familiaridade com o chamado economês.

 

resenha-magnus-chase-e-os-deuses-de-asgard-2-o-martelo-de-thor-rick-riordan-livro-capaMagnus Chase e os Deuses de Asgard: O martelo de Thor (livro 2) – Rick Riordan

Em A espada do verão, primeiro livro da série, os leitores são apresentados a Magnus Chase, um herói boa-pinta que é a cara do astro de rock Kurt Cobain. Morador de rua, sua vida muda completamente quando ele é morto por um gigante do fogo. Por sorte, na mitologia nórdica os heróis mortos vão parar em Valhala, o paraíso pós-vida dos guerreiros vikings. Lá, Magnus descobre que é filho de Frey, o deus do verão, da fertilidade e da medicina.

Desde então, seis semanas se passaram, e nesse meio-tempo o garoto começou a se acostumar ao dia a dia no Hotel Valhala. Quer dizer, pelo menos o má- ximo que um ex-morador de rua e ex-mortal poderia se acostumar. Magnus não é tão popular quanto os filhos dos deuses da guerra, como Thor e Tyr, mas fez bons amigos e está treinando para o dia do Juízo Final com os soldados de Odin — tudo segue na mais completa paz sanguinolenta do mundo viking.

Mas Magnus deveria imaginar que não seria assim por muito tempo. O martelo de Thor ainda está desaparecido. E os inimigos do deus do trovão farão de tudo para aproveitar esse momento de fraqueza e invadir o mundo humano.

 

untitledA garota com a tribal nas costas – Amy Schumer

É como uma longa conversa entre uma mulher e a melhor amiga: ela confessa que é introvertida, embora tenha uma profissão que pareça exigir exatamente o contrário; já saiu com caras que foram um completo desastre, mas também já teve em mãos o equivalente humano de um príncipe da Disney e só fez com ele um sexozinho casual. Precisou de anos de terapia para entender que a mãe não é perfeita, mas que é possível amá-la mesmo assim, e de uma grande dose de coragem para admitir que já esteve num relacionamento abusivo. Mais de uma vez.

Em A garota com a tribal nas costas, a atriz, roteirista, comediante vencedora do Emmy e estrela de um filme indicado ao Globo de Ouro Amy Schumer expõe seu passado em histórias sobre a adolescência, a família, relacionamentos e sexo, e divide as experiências que a tornaram quem ela é — uma mulher com a coragem de desnudar a própria alma e se colocar diante do que acredita, tudo isso enquanto faz as pessoas rirem.

Com a inteligência e o humor ácido que conquistaram o show business norte-americano, Amy Schumer prova, nessa reunião divertida e honesta de crônicas extremamente pessoais, ser uma pessoa destemida, dona de um coração generoso, e uma criativa contadora de histórias que vai levar o leitor a se identificar, rir alto ou chorar copiosamente, mas só porque o livro acabou.

 

untitledO guia essencial do vinho: Wine Folly – Madeline Puckette e Justin Hammack

O site winefolly.com é uma das maiores referências mundiais quando o assunto é vinho. Com grá- ficos incríveis, foco total no acesso à informação e soluções engenhosas para atrair novos apaixonados, seus criadores, Madeline Puckette e Justin Hammack, espanaram a poeira que cobria o assunto e abriram as portas para muitos iniciantes: aqueles que queriam conhecer melhor o mundo do vinho, mas se intimidavam com toda a pompa.

Com explicações claras e acessíveis, O guia essencial do vinho: Wine Folly reúne informações imprescindíveis sobre as uvas mais cultivadas do planeta, apresenta as características de cada uma — afinal, qual é a diferença entre Cabernet Sauvignon e Pinot Noir? —, ensina sobre harmonização com alimentos e a degustar e servir a bebida com propriedade. Tudo isso com a ajuda de um projeto gráfico inteligente e intuitivo que é um verdadeiro convite a uma taça.

Leve e divertido para os novatos e repleto de informações geográficas e históricas para os que já possuem algum conhecimento, o livro é, mais do que tudo, uma homenagem ao vinho e à cultura que o cerca.

 

resenha-tony-e-susan-austin-wright-livro-capaTony e Susan – Austin Wright (reedição – filme em 17 de novembro)

Susan Morrow e Edward Sheffield se separaram há vinte e cinco anos. Certo dia, instalada confortavelmente na casa em que mora com os filhos e o segundo marido, Susan recebe, pelo correio, um embrulho com o manuscrito do primeiro romance de Edward. Ele lhe pede que leia o livro: a esposa sempre foi sua melhor crítica, justifica.

Ao iniciar a leitura, Susan é arrastada para dentro da vida do personagem Tony Hastings, um professor de matemática que leva a família de carro para a casa de veraneio no Maine. Com o desenrolar da trama, a vida comum e civilizada dos Hastings é desviada de seu curso de forma violenta e desastrosa, e Susan se vê às voltas com o passado, obrigada a encarar a escuridão que existe dentro de si mesma e a dar um nome para o medo que corrói seu futuro e vai transformar sua vida.

Saudado como proeza literária, Tony e Susan foi adaptado para os cinemas com roteiro e direção de Tom Ford. Um romance sobre medo e remorso, vingança e envelhecimento, casamento e criatividade escrito com uma prosa cativante e única.

 

resenha-sully-o-heroi-do-rio-hudson-capita%cc%83o-chesley-sullenberger-com-jeffrey-zaslow-livro-capaSully: O herói do rio Hudson – Capitão Chesley “Sully” Sullenberger com Jeffrey Zaslow (filme em 1° de dezembro)

Em 15 de janeiro de 2009 o mundo testemunhou um impressionante pouso de emergência quando o capitão Chesley Sullenberger, um piloto da aviação civil com mais de 20 mil horas de voo, habilidosamente deslizou um avião da US Airways sobre o rio Hudson, em Manhattan, salvando todas as 155 vidas a bordo. Poucos minutos depois de decolar do aeroporto LaGuardia, o voo 1549 ganhava altitude quando a fuselagem estremeceu. Atingido por um grupo de pássaros, o avião perdeu ambos os motores. O sangue- -frio do piloto não apenas evitou uma enorme tragé- dia, mas o transformou em um herói e uma inspiração em todo o planeta.

O incidente, que na época ficou conhecido como “O milagre do rio Hudson”, inspirou o capitão Sullenberger a contar a própria história: uma jornada de dedicação, esperança e prontidão, que revela as importantes lições aprendidas em sua infância, durante o serviço militar e, depois, trabalhando como piloto da aviação civil.

Best-seller do The New York Times à época de seu lançamento e recentemente adaptada para os cinemas com direção de Clint Eastwood, a biografia, que narra o evento do pouso no Hudson e outros desafios da vida do capitão Sullenberger, ressalta que, sobretudo nesses tempos de guerra, tragédia e incerteza econô- mica, existem valores pelos quais ainda vale a pena lutar, e que, se estivermos preparados, não haverá desafio que não possa ser superado.

 

resenha-o-hotel-na-place-vendo%cc%82me-tilar-j-mazzeo-livro-capaO hotel na Place Vendôme – Tilar J. Mazzeo

Inaugurado em 1898, na Place Vendôme, no coração de Paris, o Hôtel Ritz logo se tornou sinônimo de luxo e exclusividade, frequentado por estrelas de cinema e escritores célebres, ricas herdeiras americanas e playboys excêntricos, políticos e príncipes. Na década de 1920, o bar do hotel se tornou o ponto de encontro de F. Scott Fitzgerald e outros autores da Geração Perdida, entre eles Ernest Hemingway. Quando, em 1940, a França foi dominada pelos alemães, o Ritz foi o único hotel de alto luxo autorizado pelo Terceiro Reich a continuar funcionando na cidade ocupada.

Em O hotel na Place Vendôme, Tilar Mazzeo investiga a história desse marco cultural desde a sua inauguração, na Paris de fin de siècle, até a era moderna. E, acima de tudo, faz uma crônica extraordinária da vida no Ritz durante a Segunda Guerra Mundial, quando o hotel serviu, ao mesmo tempo, de quartel- -general aos mais graduados oficiais nazistas e de lar aos milionários que permaneceram em Paris, entre eles Coco Chanel. Mazzeo nos conduz pelos salões de jantar, suítes, bares e adegas do imponente edifício, revelando um território propício para negócios ilícitos e intrigas mortais, além de extraordinários atos de rebeldia e traição.

Rico em detalhes e repleto de histórias fascinantes, O hotel na Place Vendôme é uma narrativa impressionante sobre glamour, opulência e extravagância, e também sobre conexões perigosas, espionagem e resistência. Uma viagem inesquecível a um período único e intrigante da história, quando a França — e toda a Europa — sofreu transformações que definiriam o mundo como o conhecemos hoje.

 

Gostaram dos lançamentos de outubro da Editora Intrínseca? Eu já quero o Deuses Americanos, O Martelo de Thor, Sully e o Tony e Susan eu já tenho em casa a edição antiga. Quais desses vocês querem? Comentem aqui embaixo!

Muito obrigado pela atenção e até o próximo post de lançamentos!

JP

JP

Fascinado pelo Mundo de Magia e Bruxaria criado por J.K. Rowling e louco pelos romances policiais de Harlan Coben, JP está realizando seu sonho de criar sua própria biblioteca em casa e agora sonha em publicar um de seus vários projetos já iniciados. É apaixonado por livros e deseja passar essa paixão adiante, tocando as pessoas com sinceridade, diversão e cultura.
JP

Últimos posts por JP (exibir todos)

JP

Fascinado pelo Mundo de Magia e Bruxaria criado por J.K. Rowling e louco pelos romances policiais de Harlan Coben, JP está realizando seu sonho de criar sua própria biblioteca em casa e agora sonha em publicar um de seus vários projetos já iniciados. É apaixonado por livros e deseja passar essa paixão adiante, tocando as pessoas com sinceridade, diversão e cultura.

E aí? Gostou? Comente aqui o que você achou!